Mais notícias para refletir

Cresce número de jovens que praticam ciberbullying contra eles mesmos

(21/nov/2017) Os altos índices de ciberbullying entre os jovens não é novidade. No entanto, um estudo publicado no Journal of Adolescent Health mostra que está crescendo o número de adolescentes que publicam ofensas anônimas nas redes sociais contra eles mesmos.
Dos 335 alunos que admitiram o auto ciberbullying, metade disse que fez isso somente uma vez, enquanto 35% disseram que o fizeram algumas vezes. Já 13% disseram que o fizeram várias vezes. A pesquisa também mostrou que muitos que tinham esse tipo de atitude estavam buscando respostas de encorajamento ou aprovação de outros usuários de redes sociais.

Olhar Digital

Cientistas criam implante cerebral capaz de melhorar a memória

(15/nov/2017) Uma equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia do Sul criou um implante cerebral que consegue melhorar a memória dos pacientes. Segundo o estudo publicado pelos cientistas, o implante garantiu uma melhoria de 30% no desempenho dos pacientes que o testaram em testes de memória de curto prazo.

Olhar Digital

Atenção dos pais pode reduzir risco de abuso de drogas na adolescência

(07/nov/2017) Pais que exigem o cumprimento de regras e que monitoram constantemente as atividades dos filhos – buscando saber onde estão, com quem e o que fazem – correm menor risco de enfrentar problemas relacionados ao abuso de álcool e de outras drogas quando as crianças entram na adolescência.
A probabilidade torna-se ainda menor quando, além de monitorar e cobrar, os pais também abrem espaço para o diálogo, explicam o motivo das regras e se mostram presentes no dia a dia dos filhos, dispostos a acolher suas dificuldades – característica parental que especialistas chamam de “responsividade”.

Fapesp

Os smartphones estão nos deixando cada vez mais distraídos. O que fazer?

(25/out/2017) Cada vez mais especialistas apontam os problemas da chamada "Crise dos Smartphones", que deixou as pessoas mais viciadas e distraídas e menos produtivas.
A cada dia, fica mais claro que os smartphones estão deixando as pessoas mais estúpidas. Essa é a maneira mais direta de falar. De modo mais pontual, os smartphones são cada vez mais viciantes e distrativos. Como resultado, está cada vez mais difícil as pessoas prestarem atenção no que estão fazendo.

IDG Now

Conheça as 10 tendências tecnológicas estratégicas para 2018, segundo Gartner

(10/out/2017) As primeiras tendências tecnológicas estratégicas para 2018 estão relacionadas com a Inteligência Artificial e a aprendizagem automática e o modo como estão se infiltrando em praticamente tudo, representando uma área de concorrência forte para os fabricantes de tecnologia nos próximos cinco anos. As quatro tendências seguintes focam-se na mistura entre os mundos digitais e físicos para criação de um ambiente imersivo e digitalmente enriquecido. Finalmente, as três últimas dizem respeito à exploração das relações entre pessoas e empresas, dispositivos, conteúdos e serviços para disponibilizar negócios digitais.

IDG Now

Pais desconhecem os perigos de expor os filhos na Internet e nas redes sociais

(08/out/2017) Não há duvidas que é maior a frequência de crimes digitais em face de jovens da geração Z, nascidos entre o início da década de 90 até 2010, os chamados centennials, e que por nascerem no mundo da Internet muitas vezes tem problemas em lidar com riscos da superexposição. Por outro lado, têm crescido os incidentes, fraudes e crimes decorrentes da exposição feita pelos próprios pais, de imagens, vídeos ou mesmo comentários sobre seus filhos.

IDG Now

Pesquisa alerta sobre acesso de crianças a temas impróprios na web

(06/out/2017) No Brasil, 22 milhões de crianças e adolescentes usam o celular para pesquisar, jogar e navegar na internet. O problema é que sem supervisão, eles estão tendo acesso a assuntos impróprios para a idade.
Uma pesquisa do Comitê Gestor da Internet no Brasil, que estuda e organiza a rede virtual no país, mostra que 91% dos jovens de 9 a 17 anos que usam a internet acessam pelo celular. Há cinco anos eram apenas 21%.

Bom Dia Brasil

11 dicas de um cientista para estimular e manter o cérebro saudável

(01/out/2017) Treze especialistas se reuniram recentemente, em Washington para discutir a evidência científica das atividades cognitivas ou intelectuais que podem ser realizadas para manter o cérebro saudável durante o envelhecimento.
Eles chegaram a uma série de conclusões a partir de evidências científicas sobre como estimular o cérebro e viver melhor, publicadas no Global Council on Brain Health, um conselho internacional de cientistas, profissionais de saúde, acadêmicos e especialistas em políticas públicas.

BBC
Este "Focando Educação" discute a matéria:

Despreparo: calouros chegam à universidade sem saber o que os espera

(07/ago/2017) Estudantes que ingressam no ensino superior têm expectativas pouco realistas do cotidiano da universidade. E não se tratam apenas de dilemas normais sobre o futuro: a imaturidade diante dos desafios da nova fase de estudos é uma característica central em um contexto em que eles não se colocam como adultos responsáveis pela sua formação e, muitas vezes, esperam ações em um perfil ainda escolar, buscando na faculdade uma extensão dos seus desejos pessoais do momento.

Gazeta do Povo
Este "Focando Educação" discute o tema:

10 habilidades do professor moderno

(05/julho/2017) Ser um educador hoje vai muito além do que apenas entrar na sala de aula e passar a matéria para os alunos, o professor moderno requer muitas habilidades, a forma de ensinar mudou e de aprender também. Os alunos atuais são muito diferentes dos alunos de 10 anos atrás, por isso você não pode ficar parado no tempo.

Canal do Ensino
Este "Focando Educação" discute o tema:

Escola às 7h da manhã? Talvez seja cedo demais

(29/ago/2017) Em 2015, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, através de pesquisas e levantamentos, apontou que o melhor cenário seria as aulas começarem a partir das 8h30, e não 7h, horário padrão nas escolas de lá. A justificativa: dois terços dos adolescentes não dormia a quantidade suficiente por noite. Enquanto o recomendado é um descanso médio de 8 horas, o jovem norte-americano descansa entre 5 e 6 horas.

Gazeta do Povo
Este "Focando Educação" discute o tema:

74% dos pais das novas gerações consideram ter a IA como tutora de seus filhos

(04/set/2017) Hoje, a ideia de ter babás robôs pode até soar mais próxima de um episódio de "Os Jetsons", mas projete esse cenário para os próximos dez anos, e ele se tornará um pouco mais palpável. De acordo com o IEEE, 40% dos pais da geração Alpha diz que provavelmente substituiriam uma babá humana por um robô-babá, ou ao menos usariam o robô para ajudar nos cuidados com as crianças.
A inteligência artificial parece ameaçar até mesmo a presença dos animais de estimação. Segundo o estudo, 48% dos pais entrevistados disseram que provavelmente trocariam um animal de estimação por um robô, caso fosse este o desejo de seus filhos.
Ao mesmo tempo, a inteligência artificial pode não só auxiliar a educação das crianças da geração alpha como também facilitar a rotina de seus pais.

IDG Now

A geração smartphone, que bebe menos álcool, faz menos sexo e não está preparada para a vida adulta

(29/ago/2017) A chamada "geração smartphone", daqueles que nasceram após 1995, vem amadurecendo mais lentamente que as anteriores. Eles são menos propensos a dirigir, trabalhar, fazer sexo, sair e beber álcool, de acordo com Jean Twenge, professora de psicologia da Universidade Estadual de San Diego, nos Estados Unidos. Suas conclusões estão no recém-publicado livro "iGen: Por que as crianças superconectadas estão crescendo menos rebeldes, mais tolerantes, menos felizes - e completamente despreparadas para a vida adulta", em tradução livre.

BBC

Smartphones estão aumentando crises de depressão em adolescentes

(07/ago/2017) Os smartphones são feitos para facilitar nossa vida e na maioria das vezes é o que eles fazem. Porém, um artigo da psicóloga Jean M. Twenge publicado no Atlantic indica que a tecnologia pode ser o motivo do aumento de casos de depressão em adolescentes.
Segundo Twenge, aqueles que nasceram entre 1995 e 2012 – a quem se refere como a geração “iGen” – são os mais afetados negativamente por smartphones. Aparentemente, por causa dos smartphones e o fato de estarmos conectados o tempo todo, a iGen se tornou uma geração mais deprimida em comparação com os Millennials.

Olhar Digital
Este "Focando Educação" discute smartphones:

Medo de passar vergonha impede inovação em sala de aula

(10/ago/2017) Você consegue imaginar por que a estrutura escolar, os métodos e a rotina em sala de aula parecem se repetir há anos? Uma pesquisa realizada pela antropóloga Lauren Herckis, na Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, pode ter encontrado a resposta: ela concluiu que os profissionais da educação têm receio de inovar ou implantar novas práticas por medo de parecerem estúpidos e passar vergonha diante dos alunos.

Gazeta do Povo
Este "Focando Educação" discute o tema:

O QI brasileiro pode estar diminuindo, e a culpa é da escola

(09/ago/2017) Um estudo feito por pesquisadores estrangeiros chegou a uma conclusão que, se correta, é aterradora: dos 31 países analisados, o Brasil é o único que teve uma queda no QI (Quociente de Inteligência). A lista inclui nações de todos os continentes, do pobre Quênia à próspera Dinamarca.
O Brasil ficou mais rico e a nutrição melhorou no período analisado. Ou seja: para que tenha havido uma queda, é preciso que as escolas não só não tenham melhorado, mas piorado de qualidade.

Gazeta do Povo
Este "Focando Educação" discute o tema:

5 mitos sobre o cérebro em que até neurocientistas acreditam

(21/jul/2017) Os mitos sobre o cérebro estão tão intrincados na nossa mente e no senso comum que, até para quem passa anos estudando neurociência, pode ser difícil desmarcará-los. Afinal, mitos tendem a ser empolgantes: quantas séries e filmes são baseados na premissa de que só usamos 10% do nosso cérebro?
Mito #1: Ensino adaptado a estilos de aprendizado
Mito #2: Inverter letras é sinal de dislexia
Mito #3: Ouvir música clássica aumenta capacidade cerebral em crianças
Mito #4: Crianças ficam agitadas depois de consumir muito açúcar
Mito #5: O lado dominante do cérebro afeta sua personalidade

Superinteressante
Este "Focando Educação" discute o tema:

‘Pais-helicóptero’ estão criando filhos simplesmente 'inempregáveis'

(Opinião, 07/jul/2017) 'Pais-helicóptero' são os pais que estão sempre girando em torno dos filhos. Praticamente os embrulham em plástico-bolha, criando uma corte de jovens adultos que têm dificuldade de ter um desempenho satisfatório no trabalho e em suas vidas. 'Pais-helicóptero' pensam que estão fazendo o melhor, mas, na verdade, estão prejudicando as chances de sucesso dos filhos. Em particular, estão arruinando as chances de que os filhos consigam um emprego e consigam mantê-lo.

Huffpost
Este "Focando Educação" discute o tema:

Falhas na memória podem ser importantes para funcionamento do cérebro, diz estudo

(22/ago/2017) Um estudo de cientistas canadenses sugere que o esquecimento pode ser importante para a manutenção da memória. O argumento é que "deletar" informações irrelevantes ajuda o cérebro a se concentrar em aspectos que possam ajudar a tomada de decisões no dia a dia. "O verdadeiro papel da memória é otimizar o processo decisório", diz Blake Richards, cientista da Universidade de Toronto e principal autor do novo trabalho.

BBC
Este "Focando Educação" discute o tema:

Cientistas demonstram a capacidade do nosso cérebro de aprender enquanto dormimos

(16/ago/2017) Segundo um estudo publicado nesta semana pelo periódico científico Nature Communications, o cérebro é capaz de aprender novos dados, mas apenas durante a fase de sono REM (movimento rápido dos olhos, na sigla em inglês).

BBC

'Não aceitamos crianças': avanço da onda 'childfree' é conveniência ou preconceito?

(09/ago/2017) No Brasil e no mundo, formou-se um nicho de espaços que rejeitam a presença de crianças, com a justificativa de garantir a tranquilidade dos demais clientes. Há diferentes interpretações jurídicas sobre o tema.

BBC

Como será o profissional do futuro?

(04/ago/2017) Quem deseja se preparar para as novas exigências do mercado precisa ficar de olho nas tendências.
Com a entrada de novas soluções no setor produtivo, como sistemas analíticos em nuvem e gêmeos digitais da linha de produção, surge um conjunto de habilidades necessárias para lidar com a realidade industrial.
A quantidade de dados sobre a produção da empresa aumentará com as novas tecnologias. Além de entender os dados, o profissional terá que entender o que eles significam, como podem ser usados no planejamento dos negócios e como deve ser feita a comunicação dessas informações.
O funcionário precisa estar disposto a conviver com perfis de pessoas muito diferentes.
Além das exigências, as companhias precisam garantir a atualização de seus funcionários. As organizações que querem ser competitivas precisam analisar como será o mercado em que atuam no futuro. A partir daí, devem avaliar se as equipes têm as competências para atingir esses objetivos.

Exame

Artigo: Para que serve a escola e o que ela deve ensinar?

(04/ago/2017) O sistema escolar brasileiro está baseado em ideias e premissas equivocadas. Muito populares, essas ideias são divulgadas há décadas pelas faculdades de educação e gozam de uma aceitação acrítica pela esmagadora maioria dos educadores brasileiros. Elas se baseiam em autores e teorias que, embora muito populares no Brasil, não emplacaram em nenhum outro país.

Veja

Suspender alunos por mau comportamento pode não funcionar

(01/ago/2017) Uma das práticas mais comuns para disciplinar, a suspensão é também uma das mais controversas. O ato, que consiste em punir o aluno por meio de um afastamento temporário do ambiente escolar, gera controvérsias por retirá-lo de um ambiente de aprendizagem como uma resposta a problemas que podem estar relacionados ao próprio processo de aprendizado. Estudo realizado por pesquisadores do Rochester Institute of Technology indica que as suspensões não diminuem os problemas de comportamento dos alunos.

Gazeta do Povo
Este "Focando Educação" discute o tema:

Exames padronizados, como o Enem, podem atrapalhar mais do que ajudar

(22/jul/2017) Em abril deste ano, o Comitê de Educação da Casa dos Comuns do Reino Unido emitiu um alerta: os exames padronizados aplicados obrigatoriamente no ensino primário não melhoram as condições de ensino e têm um impacto negativo no bem-estar das crianças. Há outros indícios de que testes do tipo, como Enem, podem criar distorções no currículo: em vez de ensinar o que é preciso, o foco passa a ser os bons resultados no exame.

Gazeta do Povo

O desafio de educar para um futuro digital e mutável

(06/julho/2017) Mais da metade dos alunos de hoje seguirão carreiras ainda inexistentes e difíceis de prever. Mas que carreiras “do futuro” são essas? Segundo os especialistas ouvidos pelo Centro de Referência em Educação Integral, devem persistir as profissões que requerem subjetividade e produção de sentido e deixam de existir aquelas que exigem somente a reprodução de padrões ou observação rápida e precisa de uma massa de dados. Estas últimas devem ser substituídas por tecnologias que desempenham tais funções de forma mais rápida, eficiente e barata.

CR Educação Integral

Tecnologia multiplica 'nômades digitais', os profissionais que trabalham enquanto viajam pelo mundo

(25/set/2017) O mercado de trabalho tem chamado de "nômade digital" um grupo heterogêneo que, com a ajuda da banda larga, da computação na nuvem e dos aplicativos de comunicação, faz os lugares mais improváveis de escritório.

BBC

 

De sedentarismo a ensino médio incompleto: nove fatores sociais que aumentam risco de demência, segundo estudo

(20/jul/2017) Um em cada três casos de demência poderia ser evitado se mais pessoas cuidassem da saúde do cérebro ao longo da vida, segundo um estudo internacional publicado no periódico científico Lancet. O estudo, que combina o trabalho de 24 especialistas internacionais, diz que o estilo de vida tem um papel importante sobre o risco de demência.

BBC

'Profissional do futuro tem de saber o que quer'

(23/jul/2017) Designer de realidade virtual, gestor de dados, profissionais ligados à terceira idade. As carreiras do futuro são muitas, mas demandam habilidades em comum como flexibilidade, dinamismo e domínio da tecnologia. Se preparar para assumir novos postos de trabalho exige, além de bons cursos, visão do mercado e proatividade.

O Estado de São Paulo

Pais do milênio confiam na inteligência artificial para educação dos filhos

(20/jul/2017) Os pais do milênio, nascidos entre 1985 e 2000, cresceram acompanhando o rápido desenvolvimento tecnológico propiciado pela internet, e agora criarão seus filhos, da geração Alpha (entre 2010 e 2025), num ambiente de mudanças ainda mais acelerado. Do cuidado com as crianças, passando pela assistência médica e até pelos animais de estimação, eles viverão cercados pela inteligência artificial.

O Globo

Exercícios para a mente: 6 dicas para ficar mais esperto

(24/jul/2017) A noção de que a inteligência pode ser incrementada começou a ser levada a sério. Inspirados no trabalho das pesquisadoras, muitos neurocientistas procuraram novas formas de alcançar ganhos cognitivos, inclusive para quem não tem autismo. Abaixo, você vai conhecer algumas delas.

Exame

Escolas americanas substituem prova escrita por avaliação de desempenho

(04/julho/2017) New Hampshire está na linha de frente de um movimento que está sendo observado por escolas de todo o país. Por mais de uma década, escolas no chamado Estado do Granito tem feito a transição para uma educação baseada em competências, na qual é requerido que os estudantes demonstrem um domínio de habilidades essenciais, em vez de simplesmente passar um certo tempo nas aulas e receber uma nota mínima para aprovação. O foco está nos tipos de habilidades – análise, reflexão, criatividade e pensamento estratégico – que os alunos de hoje precisarão para se saírem bem em um mundo imprevisível.

Gazeta do Povo

Estudo do MIT prova que Wikipedia é fonte recorrente de pesquisas científicas

(22/set/2017) Pesquisadores do MIT e da Universidade de Pittsburgh publicaram um artigo que demonstra a correlação direta entre a informação disponível no site Wikipedia e a probabilidade da mesma ser usada na literatura científica.
O objetivo dos pesquisadores era determinar se um repositório de informações acessível e colaborativo como o Wikipedia oferecia algum tipo de influência e benefício para cientistas.

IDG Now